sexta-feira, 7 de dezembro de 2012

Belvedere URGENTE


BR- 040: Recursos públicos para a duplicação da Serra



A rodovia BR-040, apesar de privatizada em 1995, deverá receber recursos públicos para uma obra prevista no contrato de concessão, segundo afirmou ontem o deputado federal Hugo Leal (PSC-RJ). Deverão sair mais de R$ 500 milhões dos cofres públicos para bancar a duplicação da atual pista de descida da Serra de Petrópolis – obrigação da Concer, concessionária que administra o trecho entre Rio e Juiz de Fora da BR-040. A empresa já falou que não irá pagar pela obra, a não ser que o contrato de concessão seja prorrogado ou que a tarifa de pedágio seja aumentada.
A determinação da presidente Dilma Rousseff é para que a duplicação do trecho entre Rio e Petrópolis da BR-040 aconteça o mais rápido possível, independentemente de como será o financiamento das obras. Segundo o deputado federal Hugo Leal, vice-presidente da Comissão de Viação e Transportes da Câmara, a decisão sobre quem irá pagar pela duplicação deverá sair até janeiro, para que as obras enfim possam começar.
A Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT), a quem cabe a fiscalização de rodovias federais concedidas, e o Ministério dos Transportes ainda não chegaram a um entendimento sobre o assunto. No entanto, já se sabe que as reivindicações da Concer para aumentar o pedágio ou prolongar o contrato de concessão da empresa não encontram aceitação nos dois órgãos.
- A solução caminha para trazer recursos públicos para a obra, para não ter prorrogação de contrato nem aumento do pedágio. É a forma em que o usuário sai menos prejudicado. Eu prefiro recursos do Executivo do que prorrogar o contrato – disse Hugo.
Hoje a tarifa para carros de passeio é de R$ 8, cobrada nas três praças de pedágio nos 180 quilômetros administrados pela Concer. A concessão teve início em 1996 e termina em 2021. Hugo Leal apresentou um requerimento de informação para que o Ministério dos Transportes responda até terça-feira qual foi a arrecadação da Concer nos mais de 16 anos de concessão.
- O que eu pedi é para saber quanto a Concer já arrecadou nesses 16 anos e quanto ela investiu. Ela diz que investiu R$ 1 bilhão na rodovia, mas quanto que arrecadou? – disse Hugo.
Em 2010, a Concer apresentou um projeto de duplicação da Serra que custaria quase R$ 900 milhões para ser posto em prática. Segundo Hugo Leal, a empresa tem hoje cerca de R$ 390 milhões para investir na duplicação. Além desse montante, Hugo apresentou na Câmara dos Deputados uma emenda ao orçamento para contemplar a via com R$ 200 milhões. Hugo acredita que a emenda será aprovada pelos deputados.
- Juntando os R$ 390 milhões com os R$ 200 milhões, eles (Concer) já têm uma boa quantia para começar a obra – disse Hugo.
Pelo projeto da Concer para a duplicação da Serra de Petrópolis, a atual pista de descida será duplicada para funcionar como descida e subida. Para isso, está prevista a construção de um túnel de quase cinco quilômetros. A nova pista de subida reduzirá em cinco quilômetros a distância entre Rio e Petrópolis.
Hugo Leal frisou que o Ministério dos Transportes não apresentou projeto alternativo ao da Concer.
- Então temos que trabalhar no projeto dela, até porque parece que já tem todas as licenças – disse Hugo.

Fonte - Diário de Petrópolis - 07/12/2012

quinta-feira, 16 de agosto de 2012

TCE aprova integralmente contas de Bernardo Rossi

Presidente da Câmara de Vereadores entre 2009 e 2010, Bernardo Rossi
(PMDB) teve suas contas aprovadas integralmente pelo Tribunal de
Contas do Estado (TCE), sem qualquer ressalva, referentes a seu último
ano à frente do legislativo petropolitano. As contas de 2009 já haviam
sido aprovadas anteriormente. Em documento emitido pelo gabinete do
Conselheiro José Maurício de Lima Nolasco, a 3a Inspetoria Geral de
Controle Municipal em seu relatório frisa "contas julgadas regulares",
mesmo parecer dado pelo Ministério Público Especial junto ao Tribunal.
Hoje deputado estadual, Bernardo Rossi considera a aprovação de contas
pelo TCE um atestado máximo da sua boa administração impressa ao
legislativo petropolitano com características de gestão empresarial e
ênfase na economia de gastos.
- A população também aprovou minha administração à frente da Câmara de
Vereadores porque em 2010 fui eleito para a Assembleia Legislativa do
Estado do Rio (Alerj) com 43 mil votos, a maior votação de um deputado
petropolitano em toda a história. Essa aprovação nas urnas está
diretamente ligada a um excelente serviço prestado como parlamentar",
aponta Bernardo Rossi.
No primeiro ano à frente da presidência da Câmara, Bernardo Rossi
encerrou 2009 com o legislativo petropolitano devolvendo aso cofres
públicos municipais R$ 1,2 milhão, resultado de economia. Os recursos
foram devolvidos  para serem usados na área da Saúde. No segundo ano
de gestão na presidência da Câmara, Bernardo Rossi promoveu a reforma
administrativa do legislativo. o que permitiu a adequação dos cargos e
a abertura de um concurso público depois de mais de 30 anos sem uma
seleção feita pela Câmara.
Bernardo Rossi abriu o Palácio Amarelo, sede da Câmara à visitação
pública, reduziu o recesso parlamentar e acabou com o nepotismo. O
"Alô Câmara", linha direta entre a população e os vereadores, foi
implementada e Bernardo Rossi garantiu a acessibilidade dos portadores
de necessidades especiais ao plenário com o uso de um elevador
portátil.
- Dividido essa conquista com os demais 14 vereadores. Além das novas
características administrativas implantadas pela mesa diretora em
minha gestão todos os vereadores dessa legislatura, independente de
questões partidárias, mudaram o conceito que a população tinha do
parlamento petropolitano. A casa é vista com o máximo de respeito
porque foi e se mantém aberta a toda sociedade, a todas as
discussões", afirma Bernardo Rossi.

Assessoria de imprensa 
(16.08.12)

terça-feira, 31 de julho de 2012


Hora de Mudar
Esta chegando o dia em que nossa cidade tem a oportunidade de mudar o rumo de sua historia. Eu, como muitos petropolitanos, sabemos que nossa cidade vem regredindo a mais de 20 anos, estamos em franca decadência. Quando jovem, nossa cidade tinha em torno de 100 mil habitantes, diversas indústrias (São Pedro de Alcântara, Dona Isabel, Fabrica de Veludo etc) a Rua Teresa no seu auge, girava dinheiro em nossa cidade, hoje com a população ultrapassando a marca de 300 mil habitantes, o que sobrou de nossa economia? Indústrias foram embora, Rua Teresa minguando e só a promessa de uma "pseuda cidade turística". E o que se ouvia nas ruas é que economia estava ruim no Brasil todo e até no mundo, que nossa cidade não tem mas jeito vai virar cidade dormitório, isto sintetizava a  baixa estima do nosso povo. Uma onda “negra” cobriu nossa cidade, escondendo seu potencial, fazendo acreditar que o melhor era aceitar, pelo menos, a esmola que os governantes ofereciam, cesta básica, cartão cidadão, ou seja-la qual era o nome dado a esta. E não é que derepente em uma cidade nem tão distante, veio à informação com uma pitada de inveja, que esta agora se tornava uma cidade grandiosa, como a nossa forra no passado próximo. Três Rios, cidade sem sal, mas que agora estava sendo reconhecida por todo o estado, como cidade em franco crescimento, e o povo dela estava feliz de verdade. E me perguntei o que foi feito por lá? E então veio a resposta. Um prefeito, jovem, empreendedor, com vontade de mudar, somado a ajuda do Governo estadual levaram mais de 900 indústrias a esta cidade, o que representaria mais de 10 mil empregos! Analisei com o coração e entendi o que este jovem prefeito fez, o que ele realmente trouxe ao cidadão, DIGNIDADE! Pois é, o povo não quer esmola, ele quer trabalho, quer ter a chance de conquistar algo para si e sua família, e isto fizeram com que a cidade de Três Rios torna-se uma cidade realmente feliz! E agora estamos à beira de, realmente, mudar a historia de Petrópolis, em eleger um prefeito também jovem, com vontade, empreendedor e junto do Governo, para nos dar amparo, na maior e mais profunda mudança já realizada na Cidade Imperial e finalmente trazer DIGNIDADE e colocar nossa Petrópolis no lugar em que ela merece!! No dia 7 de outubro o voto da mudança, BERNARDO ROSSI – 15 -  pois é HORA DE MUDAR e Petrópolis tem que MUDAR!!



sexta-feira, 6 de julho de 2012

MUDA PETRÓPOLIS! 
A partir de hoje, e nos próximos três meses, estarei aqui e nas ruas em contato permanente com a população, como sempre fiz, para apresentar e discutir propostas para a nossa cidade. 

Porque é isso o que o povo quer saber. Não quer ver baixaria nas ruas nem nas redes, mas ouvir quais são as propostas que cada um dos candidatos têm para esta cidade que tanto amamos. Eu vou focar nas propostas que temos para melhorar a Saúde, o Trânsito, o Transporte Público, a Educação, para gerar emprego e renda. É isso o que vocês podem esperar de mim. 

Para abrir a campanha, veja o que tem a dizer o meu parceiro e companheiro de partido, o governador Sergio Cabral.

BERNARDO ROSSI - 15


video

terça-feira, 26 de junho de 2012

Convite a Petrópolis!

Vamos começar uma mudança sem precedentes! Aguardamos a presença de todos dia 30 de junho no Petropolitano!

quarta-feira, 18 de janeiro de 2012

O estrebuchar de um governo


Em uma cidade, cercada de montanhas, no clima ameno de alguma serra, sobrevive um governo, que durante três anos se mantinha adormecido, apesar de todo barulho que a própria natureza fez, ele dormia como se não fosse com ele.
 Já nos primeiros momentos deste governo, a cidade acreditara que tudo seria maravilhoso, que tudo seria diferente, mas nada mudou. Acordou pensando que estava bem de saúde, mas ao olhar ao seu redor, viu que estava sozinha, que seu líder, prometido salvador da pátria, nem coragem tinha para oferecer seu ombro amigo, e que este também não estava bem da saúde. E ai esta cidade começou a entender que tinha se enganado, mas aguardou. O tempo foi passando e passando, a saúde debilitada, frágil e sofrida foi agravada. A cidade tentou, se manifestou, gritou, e outras classes, também sofridas começaram a se mostrar, e foram à rua, como pedissem uma mão amiga, para sua decepção ficaram órfãos, sozinhos a deriva.  E o pior ainda estava por vir. O transporte, do dia a dia, cada dia ficou mais caótico. Quebrava, emperrava e empurrava, e assim começava o dia da já doente cidade, agora estava literalmente a pé.  E ai antes das chuvas de março fechando o verão veio à tragédia, chuvas, mortes e descaso. O povo sobrevivente, doente e a pé, agora estava sem teto. E por assim permanece até os dias atuais.
Mas de repente, o governo abre os olhos, o povo com seu ultimo fio de esperança, suspira. Será que a mão amiga vai chegar? O povo balbucia. Cabreiro o povo aguarda ansioso. Mas para sua surpresa, o que ele vê ,um governo feroz, como se estivesse com raiva do próprio povo que o elegeu, passando por cima de decisões da maioria, com propósitos obscuros e  o povo já doente, a pé e sem moradia teme pelo seu ganha pão.
O povo enverga, em três anos, um governo omisso e agora truculento, esquecendo dos princípios básicos de uma boa administração e de humanidade.
Mas nem tudo esta perdido, vem ai os últimos instantes e finalmente a oportunidade de banir este governo da face da cidade.
A todos que leram este texto, torço que não seja o caso de sua cidade, porque se caso o for, na hora de votar você com certeza sabe em quem não votar.
E lembrando a todos que "esta é uma obra de ficção qualquer semelhança será mera coincidência."